Projeto Político Pedagógico

O curso de Tecnologia em Laticínios do Instituto Federal do Sudeste de
Minas Gerais teve início em agosto de 2003, sendo o primeiro curso de graduação
do Câmpus Rio Pomba com o intuito de formar profissionais aptos a atuar nos
diversos setores lácteos (industriais e artesanais).

A modificação do perfil do egresso de tecnólogo para bacharel é justificada
pela evolução do setor de lácteos do Brasil que, nos últimos anos, passou a exigir
um profissional mais completo e melhor preparado para os desafios do mercado.
O profissional formado em bacharelado será capaz de planejar, organizar e
fabricar produtos lácteos de acordo com as normas técnicas a fim de garantir a
qualidade do produto e a saúde do consumidor. Também poderá atuar em
instituições de ensino, pesquisa e extensão, desen volvimento e inovação,
participando de projetos de implantação e gestão de laticínios, melhorando as
tecnologias de processamento do setor, reduzindo custos de produção,
desenvolvendo produtos, e garantindo a qualidade higiênico-sanitária dos mesmos.
Compete ao Bacharel em Laticínios formado no IF Sudeste MG – Câmpus
Rio Pomba desempenhar atividades profissionais no setor lácteo que permitirá:
 Reconhecer, selecionar e diferenciar a matéria-prima láctea de qualidade e
destinar seu uso correto para fabricação de derivados;
 Capacitar pessoas para aplicação dos sistemas de gestão industriais e das
diversas tecnologias de fabricação dos derivados lácteos;
 Aplicar os princípios de conservação de alimentos para garantir a sanidade e
qualidade dos derivados lácteos;
 Planejar, orientar, avaliar e monitorar o funcionamento de uma planta de
processamento de produtos lácteos, utilizando adequadamente
equipamentos, utensílios e ambiente de trabalho de forma a garantir o bom
andamento das atividades do setor, a saúde e bem estar dos trabalhadores,
dando maior segurança e vida de prateleira ao produto final;
 Selecionar e usar corretamente embalagens, garantindo conservação e boa
aparência aos produtos lácteos;
 Atuar na seleção e uso de aditivos alimentares usados nos processos de
fabricação de produtos lácteos, reconhecendo o efeito dos mesmos na saúde
dos consumidores;
 Aplicar e elaborar legislação reguladora das atividades relacionadas à área;
 Pesquisar, desenvolver, acompanhar e inovar processos, produtos e serviços
na área de tecnologia em laticínios;

 Supervisionar, promover, implantar e gerenciar programas de qualidade
(BPF, APPCC, etc.) da matéria-prima, processos e produtos.
 Orientar e executar corretamente a coleta, transporte, acondicionamento e
recepção de amostras para análise;
 Realizar as análises microbiológicas, físico-químicas e sensoriais do leite e
derivados, dentro de técnicas e procedimentos corretos;
 Interpretar os resultados analíticos, definindo o destino do produto analisado
baseados em normas legais;
 Contribuir para evitar a poluição e degradação ambiental;
 Reconhecer e aplicar as bases científicas na obtenção, conservação,
transporte e beneficiamento de produtos lácteos;
 Reconhecer a cadeia produtiva, gerenciando as atividades desde obtenção
até o consumo final do produto.
Portanto, para formar profissionais que possuam as competências
relacionadas, o IF Sudeste MG, Câmpus Rio Pomba, procurará incentivar, durante
todo o curso, a criatividade e curiosidade dos estudantes, o desenvolvimento do
espírito inovador e empreendedor, a capacidade de ação, de comunicação e de
trabalho em equipe

 Supervisionar, promover, implantar e gerenciar programas de qualidade
(BPF, APPCC, etc.) da matéria-prima, processos e produtos.
 Orientar e executar corretamente a coleta, transporte, acondicionamento e
recepção de amostras para análise;
 Realizar as análises microbiológicas, físico-químicas e sensoriais do leite e
derivados, dentro de técnicas e procedimentos corretos;
 Interpretar os resultados analíticos, definindo o destino do produto analisado
baseados em normas legais;
 Contribuir para evitar a poluição e degradação ambiental;
 Reconhecer e aplicar as bases científicas na obtenção, conservação,
transporte e beneficiamento de produtos lácteos;
 Reconhecer a cadeia produtiva, gerenciando as atividades desde obtenção
até o consumo final do produto.

Reconhecer, selecionar e diferenciar a matéria-prima láctea de qualidade e
destinar seu uso correto para fabricação de derivados;
 Capacitar pessoas para aplicação dos sistemas de gestão industriais e das
diversas tecnologias de fabricação dos derivados lácteos;
 Aplicar os princípios de conservação de alimentos para garantir a sanidade e
qualidade dos derivados lácteos;
 Planejar, orientar, avaliar e monitorar o funcionamento de uma planta de
processamento de produtos lácteos, utilizando adequadamente
equipamentos, utensílios e ambiente de trabalho de forma a garantir o bom
andamento das atividades do setor, a saúde e bem estar dos trabalhadores,
dando maior segurança e vida de prateleira ao produto final;
 Selecionar e usar corretamente embalagens, garantindo conservação e boa
aparência aos produtos lácteos;
 Atuar na seleção e uso de aditivos alimentares usados nos processos de
fabricação de produtos lácteos, reconhecendo o efeito dos mesmos na saúde
dos consumidores;
 Aplicar e elaborar legislação reguladora das atividades relacionadas à área;
 Pesquisar, desenvolver, acompanhar e inovar processos, produtos e serviços
na área de tecnologia em laticínios;
MINISTÉRIO DA EDUCA

A metodologia de ensino das matérias de formação profissional, além 
de se desenvolverem através dos tradicionais recursos da exposição didática, 
estudos de caso, dos exercícios práticos em sala de aula, dos estudos dirigidos 
e seminários, deverão contemplar também mecanismos que garantam a 
articulação da vida acadêmica com a realidade concreta da sociedade e os 
avanços tecnológicos, incluindo assim alternativas como multimídia, visitas 
técnicas, internet e projetos desenvolvidos com parceiros geograficamente 
dispersos, via internet.

A gestão do curso é feita pelo coordenador do curso e conta com o apoio da Coordenação Geral de Graduação (CGG), Coordenação Geral de Assuntos e Registros Acadêmicos (CGARA) e Coordenação Geral de Assistência Estudantil (CGAE). 

O processo de autoavaliação do curso estará presente no programa de
avaliação institucional do IF SUDESTE MG - Campus Rio Pomba. É um processo
contínuo com permanente interação que visa o aperfeiçoamento do curso. Todo
final de semestre a CPA (Comissão Própria de Avaliação) aplica instrumentos
junto aos alunos para avaliação do desenvolvimento do curso. Os resultados são
trabalhados juntamente com os professores para reavaliação. Realiza-se também,
avaliação com os docentes e pessoal técnico-administrativo. Portanto, com o
referido programa pode-se, todo início de semestre, traçar novas metas e
implementar o planejamento estratégico.
A avaliação institucional é uma preocupação constante e atividade perene
no Instituto, que visa a busca da qualidade do ensino, da pesquisa e da extensão,
como decorrência da procura de aprimoramento permanente do profissional, exigido
pelas novas expectativas sociais.
Resulta, daí, a meta de perseguir a qualidade, por meio da participação e da
autocrítica, com o envolvimento da totalidade da comunidade acadêmica, partindo
do equacionamento e identificação dos fatores positivos ou negativos nos
desempenhos docente, discente e administrativo para o planejamento na tomada de
decisões. Tudo isto está organizado e sistematizado nas diversas atividades de
avaliação, já existentes, em um processo de qualificação implementado em todos os
campi do IF Sudeste MG.

Estão envolvidos na avaliação institucional todos os serviços prestados pela
Instituição, nas atividades-fim (ensino, pesquisa e extensão) e nas atividades -meio
(apoio administrativo). Nenhum setor fica de fora, desde a Direção Geral, seus
integrantes, até a zeladoria, conservação e limpeza.

A avaliação, específica para cada curso de graduação, leva em conta,
ainda, os parâmetros fixados pelo MEC, os exames nacionais de curso e os
seguintes indicadores:
 taxas de escolarização bruta e líquida;
 taxas de disponibilidade e de utilização de vagas para ingresso;
 taxas de evasão e de produtividade;
 tempo médio para conclusão do curso;
 índices de qualificação do corpo docente;
 relação média alunos por docente;
 tamanho médio das turmas.
A avaliação da qualidade do curso é realizada mediante aplicação de
questionários aos discentes e docentes, solicitando que pontuem os diversos
tópicos com notas que variam da seguinte forma:
0 – Caso não tenham condições de responder,
1 – Péssimo,
2 – Ruim,
3 – Regular,
4 – Bom,
5 – Ótimo.

Baixar Arquivo
SIGAA | Instituto Federal do Sudeste de MG - 3257-4100 | Copyright © 2006-2020 - IF Sudeste MG - sig10.ifsudestemg.edu.br.sig10