Projeto Político Pedagógico

O Tecnólogo em Design de Moda do Instituto Federal Sudeste de Minas Gerais - Campus Muriaé – tem como diretriz a formação de profissionais habilitados para transformar ideias em produtos e propor soluções eficazes, em consonância com o contexto socioeconômico e cultural da região onde situa. A Instituição, através de seu curso, assume o compromisso com a formação de massa crítica capaz de desenvolver o pólo de indústrias de moda de Muriaé, valorizando as potencialidades locais, sem, no entanto estar desconectado com outras possibilidades mercadológicas.

 

A atividade profissional de um Tecnólogo em Design de Moda exige uma formação multifuncional, por isso a necessidade de um plano pedagógico multidisciplinar, no sentido tanto de conhecimentos específicos do campo do design, mas recorre a áreas afins e campos conhecimentos técnicos e específicos aplicados ao segmento de moda vestuário. Portanto, a formação em questão deve contemplar as relações entre o conhecimento teórico e as exigências da prática cotidiana da profissão.

 

O sucesso profissional do Tecnólogo em Design de Moda será garantido pela solidez da formação técnica e criativa, da ampla formação cultural, adquiridas durante o curso de graduação. Serão fatores fundamentais para este sucesso, o desenvolvimento de uma oferta curricular que garanta a formação e informação, métodos, técnicas e meios que habilite o aluno trabalhar em equipe, que tenha facilidade de adaptação a contextos novos, saiba objetivar sua criatividade, seu espírito inovador, seu poder de liderança, de gerenciamento e decisão, sua confiabilidade e habilidade comunicativa; capacidade de síntese, de crítica e de inovação; além de estar atualizado das inovações tecnológicas e dos novos meios de distribuição do produto.


Os Tecnólogos em Design de Moda egressos do curso são habilitados a atuarem efetivamente no segmento de moda e em áreas correlatas, portanto este é o universo de atuação:

  • Confecção de moda;

  • Indústria de aviamentos e acessórios;

  • Empresas de varejo e atacado de moda;

  • Fiações, tecelagens, malharias;

  • Estamparias de tecidos e produtos prontos;

  • Empresas prestadoras de serviços de bordados;

  • Lavanderias industriais voltadas para o segmento de moda;

  • Empresas de assessoria e produção de moda;

  • Empresas de comunicação de moda.

O conhecimento de todas as etapas de projeto desde a prospecção de tendências a retirada dos produtos do mercado, além de um forte conhecimento do processo produtivo, credencia o profissional a atuar não somente nas fases de gestão do design, mas também com habilidades para o planejamento e controle da produção e da gestão comercial das empresas do segmento. São diversas as competências, entre elas estão as seguintes:

  • Capacidade de objetivação da criatividade de forma sistematizada em soluções inovadora, utilizando domínio de técnicas e de processos de criação;

  • Conhecimento das linguagens próprias do campo profissional aplicados em conceitos e soluções em seus projetos, de acordo com as diversas técnicas de expressão e reprodução visual;

  • Habilidade de convivência com especialistas de outras áreas, para trabalhar com equipes multifuncionais, planejando, organizando, implantando e gerindo programas de design;

  • Conhecimento de todas as etapas da atividade projetual, desde percepção das demandas, das técnicas de coleta e análise de dados, geração e avaliação de alternativas, configuração e conformação das soluções de design propostas;

  • Capacidade de gerir a produção a partir de uma abordagem da qualidade e produtividade, da otimização dos custos e do gerenciamento dos recursos humanos para a produção;

  • Capacidade de prosseguir estudos de pós-graduação em programas de Lato Senso e Stricto Sensu.

A proposta metodológica para o curso de Tecnólogo em Design da Moda do Campus Muriaé do IF Sudeste MG está fundada na articulação teoria-prática que resulta na formação do especialista no campo da moda e também, ao mesmo tempo, numa abordagem interdisciplinar que articule os três eixos que norteiam o campo de atuação dos Institutos Federais, respectivamente: o ensino, a pesquisa e a extensão.

 

Uma concepção de prática como componente curricular implica vê-la como uma dimensão do conhecimento, que tanto está presente nos cursos de formação nos momentos em que se trabalha a reflexão sobre a atividade profissional, como durante o estágio nos momentos em que se exercita a atividade profissional. Dessa forma, a prática desenvolvida nos laboratórios e sedimentadas nos estágios nas indústrias e outros locais, oferece ao educando a possibilidade de relacionar direta ou indiretamente o ambiente escolar com os centros de produção.

 

Ao final do curso, deverá ser exigido como um dos processos relevantes para a qualificação do profissional em Moda um Trabalho de Conclusão de Curso. Nesse sentido, é importante buscar estudos que sejam relevantes para a área de Moda, contribuindo para a construção de novos saberes na área e favorecendo a edificação de novas proposições para o seu ensino.

 

A abordagem metodológica é interdisciplinar no intuito de abranger uma compreensão da produção de conhecimento de forma dinâmica, de modo que o real não se fixe em formas estáticas do próprio conhecimento. Entende-se assim, que a tarefa é integrar as disciplinas, superando esse caráter disciplinar, a partir do diálogo permeado por diferentes configurações epistêmicas.

 

A organização curricular parte de uma reorientação dos modelos tradicionais das grades curriculares estruturadas em disciplinas isolada para a organização em grupos por áreas de conhecimento. É enfatizada a promoção do conhecimento artístico que poderá ser capaz de articular método entre a criação em Moda e o processo de contextualização histórico e social. No que se refere ao fazer é necessário conhecer e experenciar os diferentes segmentos que compõem o universo da Moda e principalmente o mercado industrial.

 

A contextualização do profissional a ser formado deve se processar através do estudo da dinâmica histórica e cultural, da estética e do exercício critico da Moda, como também, da identificação da realidade sócio-cultural dos diversos espaços que ela ocupa como, por exemplo: ateliês, galerias, vitrines de shoppings e a rua, entre outros espaços, diagnosticando interesses e necessidades do consumidor.

 

A articulação do ensino, pesquisa e extensão são efetuadas por intermédio do desenvolvimento de projetos institucionais que incentivem a colaboração entre o Campus Muriaé do IF Sudeste MG e organizações comunitárias, envolvendo equipes multiprofissionais que possam compartilhar o trabalho de pensar, gerenciar e avaliar o interesse pela Moda com o quadro docente desse curso e outros profissionais de atuação em moda.Quanto aos recursos metodológicos utilizados no Curso Superior de Tecnologia em Design de Moda são compreendidos por:

Técnicas de Ensino: Expositiva-Dialogada; Técnica de Laboratório; Técnica do Estudo Dirigido; Técnica de Trabalho em Pequenos Grupos; Pesquisa; Dramatização; Projeto; Debate; Estudo de Caso; Seminário; Painel Integrado; Visitas Técnicas; Brainstorming. Recursos Didáticos:Transparências; Slides; Computador; Mapas/Catálogos; Laboratório/Oficina; Impressos (Apostila); Lousa.

O Núcleo Docente Estruturante – NDE – é o órgão consultivo e deliberativo responsável pela concepção do Projeto Pedagógico do Curso, e tem por finalidade a implantação, acompanhamento e atualização do mesmo. Além disso, entre as atribuições do NDE estão o estabelecimento do perfil do egresso do curso, a condução – sempre que necessária – dos trabalhos de reestruturação curricular, a supervisão das formas de avaliação e acompanhamento do curso, a análise e avaliação dos Planos de Ensino dos componentes curriculares e o acompanhamento das atividades do corpo docente, subsidiando as atividades do Colegiado do Curso por meio de indicações de contratações ou substituições de docentes. A constituição do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do Curso segue a Resolução do CONAES no 1, de 17 de junho de 2010 e respectivo Parecer no 4, de 17 de junho de 2010 .

O NDE do Curso Superior de Tecnólogo em Design de Moda do IF Sudeste MG – Campus Muriaé é composto pelos seguintes membros:

 

Composição do NDE

Situação

Rui Gonçalves de Souza

Presidente (Coordenador do Curso)

Carolina Angelo Jeronimo Domingues

Membro Docente

Clarissa Alves de Novaes

Membro Docente

Erika Rodrigues Coelho Martins

Membro Docente

Júnia de Magalhães V. M. de Mesquita

Membro Docente

Rodrigo Fonseca Caixeta

Membro Docente

Tatiana Machado Resende Guedes

Membro Docente

 

A manutenção da excelência no ensino, pesquisa e extensão envolvidos no Curso Superior de Tecnólogo de Design de moda do IF Sudeste MG – Campus Muriaé depende, essencialmente, de um processo de avaliação, comparação, controle e realimentação, uma vez que diversas variáveis exógenas podem afetar o desempenho do referido curso.

De acordo com a Lei n° 10.861, que institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES, o referido Sistema tem por objetivo, entre outros aspectos, a busca pela eficácia institucional e o aprofundamento nos compromissos sociais das instituições de ensino superior. Em função disto, o IF Sudeste MG - Campus Muriaé construiu este Projeto Pedagógico de Curso orientado pelas premissas estipuladas na lei supracitada (BRASIL, 2004).

Com o objetivo de assegurar a qualidade do curso, o IF Sudeste MG –Campus Muriaé também realiza processos de avaliação interna, coordenados pela Subcomissão Própria de Avaliação – SPA. Além disso, o monitoramento da qualidade do curso é realizado por meio de entrevistas e questionários com alunos, professores, egressos, reuniões periódicas do Colegiado do Curso e de reuniões entre o Núcleo Estruturante Docente – NDE – e a Coordenação Geral de Graduação e Pesquisa – CGGP – do IF Sudeste MG – Campus Muriaé.

Baixar Arquivo
SIGAA | Instituto Federal do Sudeste de MG - 3257-4100 | Copyright © 2006-2020 - IF Sudeste MG - sig08.ifsudestemg.edu.br.sig08