Projeto Político Pedagógico

Agir de forma empreendedora, capaz de produzir e inovar os conhecimentos científico-tecnológicos aprendidos, bem como suas respectivas aplicações no mercado de interiores.

Apresenta como foco preparar o discente para um mercado de trabalho, cuja atuação incorpore o processo de reflexão sobre a sua contribuição para uma melhoria nas condições de vida humana, principalmente no quesito conforto, em atenção aos contextos específicos de sua profissão. E como diferencial, busca-se agregar o entendimento das especificidades regionais circunscritas. Em consequência, o egresso, no exercício de sua profissão, possuirá uma formação pautada na compreensão das características culturais, sociais e econômicas da cidade de Juiz de Fora e região.

● Projetista de Interiores – Desenvolvendo projetos de interiores residenciais, de serviços, comerciais e institucionais, considerando aspectos funcionais, estéticos, ergonômicos, tecnológicos, socioeconômicos, ambientais, culturais e
históricos;

● Desenhista de Interiores – Elaborando desenhos necessários à apresentação dos projetos de interiores, utilizando as técnicas de representação gráficas manuais e/ou computacionais;

● Atendente Técnico – Atuando no atendimento técnico ao cliente,orientando-o na aquisição e especificação de materiais, mobiliário, cores e objetos adequados ao ambiente;

● Gerente e Supervisor na Execução de Projetos de Interiores – Atuando no gerenciamento do processo de execução do ambiente projetado, em todas as suas fases, considerando o cronograma físico-financeiro;

● Consultor de interiores – Prestando consultoria ao cliente, orientando-o na especificação de materiais, mobiliário, cores e objetos adequados ao ambiente, analisando os projetos, considerando a viabilidade técnica e financeira de execução;

● Produtor de Maquete Física – Produzindo maquetes e protótipos de ambientes; 

● Produtor de Maquete Eletrônica – Produzindo maquetes eletrônicas para apresentação dos projetos de interiores.

I – capacidade criativa para propor soluções inovadoras, utilizando domínio de
técnicas e de processos de criação;

II – capacidade para o domínio de linguagem própria, expressando conceitos e
soluções em seus projetos de acordo com as diversas técnicas de expressão e reprodução
visual;
III – capacidade de interagir com especialistas de outras áreas de modo a utilizar
conhecimentos diversos e atuar em equipes interdisciplinares na elaboração e execução
de pesquisas e projetos;
IV – visão sistêmica de projeto, manifestando capacidade de conceituá-lo
mediante a combinação adequada de diversos componentes materiais e imateriais,
processo de fabricação, aspectos econômicos, psicológicos e sociológicos do produto;
V – domínio das diferentes etapas do desenvolvimento de um projeto, a saber:
definição de objetivos, técnicas de coleta e de tratamento de dados, geração e avaliação
de alternativas, configuração de solução e comunicação de resultados;
VI – conhecimento do setor produtivo de sua especialização, revelando sólida
visão setorial, relacionado com mercado, materiais, processos produtivos e tecnologias,
abrangendo mobiliário, confecção, calçados, joias, cerâmicas, embalagens, artefatos de
qualquer natureza, traços culturais da sociedade, softwares e outras manifestações
regionais;

VII – domínio de gerência de produção, incluindo qualidade, produtividade,
arranjo físico de fábrica, estoques, custos, investimentos, além da administração de
recursos humanos para a produção;
VIII – visão histórica e prospectiva, centrada nos aspectos sócioeconômicos e
culturais, revelando consciência das implicações econômicas, sociais, antropológicas,
ambientais, estéticas e éticas de sua atividade.

As metodologias de ensino utilizadas no curso valorizarão: as capacidades e conhecimentos prévios dos discentes, as capacidades e a progressiva autonomia dos discentes com necessidades específicas; os valores e a concepção de mundo dos discentes, seus diferentes ritmos de aprendizagem, sua cultura específica, referente especialmente a
seu pertencimento social, étnico-racial, de gênero, etário, religioso e de origem (urbano ou rural); o trabalho coletivo entre docentes e equipe pedagógica, o diálogo entre docentes e equipe pedagógica, bem como entre instituição e comunidade; o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação - TICs; e o uso de diferentes estratégias didáticometodológicas, como meio para auxiliar no processo de aprendizagem do conteúdo: seminários, debates, atividades em grupo, atividades individuais, projetos de trabalho, estudos dirigidos, visitas técnicas, oficinas temáticas e outras.

No que se refere às TICs, é importante ressaltar que as contemporâneas tendências do ensino do design vão além do desenvolvimento da criatividade, da percepção estética, da contemplação e da leitura formal. Estas vem tornando-se mais amplas e complexas, exigindo a exploração das relações conceituais e experimentais, estando cada vez mais alinhadas aos objetivos de aprendizagem de cada aluno.

Nesse sentido, o Curso Tecnológico em Design de Interiores do IF Sudeste MG, Campus Juiz de Fora, apresenta como metodologia para o emprego das TICs: a dinamização da informação através das relações entre o campo de pesquisa virtual (livros, artigos, revistas eletrônicas etc), os conteúdos ministrados de forma presencial nas
disciplinas do Curso e o intercâmbio das experiências entre discentes e docentes.

Nenhum conteúdo disponível até o momento

Leva em conta diversos aspectos como Projeto Pedagógico, avaliação institucional, autoavaliação, avaliação com egressos e avaliação das disciplinas por meio de questionários a serem desenvolvidos. Os instrumentos avaliativos periódicos que servirão de suporte para a avaliação do curso, em linhas gerais, serão:
a) reuniões do Núcleo Docente Estruturante;
b) reuniões do Colegiado do Curso;
c) diálogos e contato diário com os discentes ativos e questionários com
egressos;
d) processos de auto avaliação.

O último instrumento, processo de auto avaliação do curso faz parte do programa institucional do IF Sudeste MG - Campus de Juiz de Fora. Trata-se um processo contínuo com permanente interação que visa ao aperfeiçoamento do curso. Ao final de cada semestre letivo, a Comissão Própria de Avaliação (CPA) utiliza instrumentos junto aos
alunos, professores e técnicos administrativos, que avaliam não somente a instituição, mas também o curso, os professores e a Coordenação do Curso.

Nenhum conteúdo disponível até o momento
SIGAA | Instituto Federal do Sudeste de MG - 3257-4100 | Copyright © 2006-2021 - IF Sudeste MG - sig10.ifsudestemg.edu.br.sig10